Buscar
  • Charine Aldrighi

O avanço infantil e as influências do lar.

Você já refletiu e percebeu o quão impactante a escolha do lar pode ser na sua vida e de seu filho?


Ao escolher uma moradia, seja ela alugada, comprada, pequena, grande, dentre todas as variáveis que encontramos maciçamente no mercado, não se deve limitar os desejos e imaginações, pois é exatamente esta liberdade criativa que fará de seu lar sua essência. A busca de algo que se encaixe com suas necessidades também é de suma importância.


Liberdade criativa e atendimento das necessidades. São as escolhas que irão refletir ao longo de toda a jornada do desenvolvimento infantil de seus filhos.


Somos seres detentores de diferentes comportamentos e pensamentos movidos pela emoção. Seres complexos que precisam e necessitam possuir um espaço acolhedor, com sentimento de pertencimento.


Assim como nós, adultos, que necessitamos deste lugar seguro, para a fuga de tudo que nos cerca, a criança também precisa deste lugar que você escolheu para viver, aprender, envolver-se, criar, ser ela. O dever do cuidador é proporcionar experiências e estímulos com segurança.


Com a evolução da ciência, já há comprovações concretas de que o cérebro se adapta à realidade na qual a vida apresenta, seja boa ou ruim. Esta propriedade cerebral de adaptação chama-se neuroplasticidade, inclusive muito mais eficiente e adaptável enquanto crianças.


Sabendo disso, deve-se pensar na importante tarefa de tornar o lar um ambiente mentalmente saudável, capaz de tornar seu filho seguro em seu desenvolvimento, contribuindo nas memórias e experiências.


Aprofundando, importante destacar a existência de diferentes fases do desenvolvimento que são variáveis conforme o crescimento de uma criança, cada uma delas com necessidades distintas de aprendizagem.


Fazem-se presentes em todas as fases do desenvolvimento infantil novos aprendizados e evoluções motoras, cognitivas e socioemocionais. Não é exagero dizer, inclusive, que quando uma destas falha em sua jornada evolutiva, a outra também será afetada.


Ao longo de toda a jornada, incluindo a fase intrauterina, o bebê possui a forte necessidade de um vínculo seguro, até em maior escala do que a decoração planejada para sua chegada, já que há uma grande idealização e desejos quando se pensa no quarto, principalmente. Porém para o bebê, a presença dos pais será o item de maior valor para alcançar o desenvolvimento.


Com o decorrer do crescimento, mas ainda em momento bastante incipiente, estímulos visuais, auditivos e olfativos serão de grande importância para seu aprendizado. Puxe em sua memória o que você recorda enquanto criança, a presença de cores (paredes, brinquedos), sons (músicas, instrumentos), cheiros (aromas, perfumes), movimentos e reflita o que você gostaria que seu filho tivesse de recordações. Esses são aspectos que muito contribuem na neuroplasticidade.


A autonomia e competência, com o passar dos anos, são extremamente valiosas para a criança ser capaz de realizar tarefas que estejam ao seu alcance. Use a liberdade criativa, proporcione um ambiente de estímulo para seu filho executar suas próprias tarefas. Esta habilidade pode ser aprendida mediante inúmeros exercícios e em diferentes espaços do lar, como guardar objetos, arrumar seu quarto, auxiliar os pais alcançando algum pertence, tirar o calçado, buscar algo que queira, auxiliar no jardim, entre inúmeras outras formas que a liberdade criativa autoriza. Tudo com limites e segurança.


Outro ponto para ser comentado é a validação, ou seja, quando a criança sabe que possui no espaço familiar a percepção e certeza que validam as emoções que sente. Nesses momentos, auxilie seu filho a compreender suas atitudes e faça ele lembrar o quão acolhedor, enriquecedor e seguro era seu lar enquanto passava por dúvidas.


Por último, mas não menos importante, aponta-se a resiliência familiar. Não esqueça que toda conduta em seu lar, como atividades em conjunto, elogios, exemplos, serão sempre motivo para a criança aprender. Tenho certeza que você recorda de como era o comportamento das pessoas que viveram com você ou até mesmo recorda de momentos bons ou ruins durante a convivência familiar e o quanto essa experiência influenciou você. É a maneira de agir e a memória do lugar em que se estava que ficará registrado.


Crie oportunidades de novas experiências e aprendizados nos momentos que estiver com seu filho. A infância não retornará e as lembranças do que foi vivenciado no lar serão guardadas para sempre.


Cuide de seu lar, dos detalhes decorativos, da organização, da rotina de sua família, apesar das dificuldades. Tente ao máximo buscar o equilíbrio.


São os pequenos detalhes que causam impacto na vida de seu filho


Por Charine Aldrighi, arquiteta e graduanda em Psicologia.


Para conhecer mais o trabalho da Charine, é só acessar o Instagram @arq.charinealdrighi

12 visualizações0 comentário